Descubra 4 dicas infalíveis para escrever seu artigo em inglês do absoluto zero

COMPARTILHE

Você aí que está no mestrado ou doutorado e é cobrado quase que diariamente para ter o seu artigo publicado, sente dificuldade em escrever o seu artigo em inglês do absoluto zero? Então leia esse post até o final e aprenda a usar ferramentas que serão suas parceiras nesse processo. A forma de escrever, faz toda a diferença no aceite de um artigo, se você não fizer uso das ferramentas que vamos apresentar aqui, certamente terá dificuldade em escrever um artigo com boas chances de publicação.

Qual a melhor forma de escrever artigo em inglês?

Eu comecei a escrever artigos ainda na graduação em Farmácia, quando fazia iniciação científica. Nessa época, eu escrevia a introdução, metodologia e colocava as referências nas normas da revista. As demais sessões, quem fazia era a doutoranda que eu ajudava. Como não sabia muitas palavras em inglês, eu observava como os outros artigos eram escritos e fazia parecido. Com auxílio do google tradutor e do uso de sinônimos, de modo a evitar o plágio. Dava certo, mas não era a melhor estratégia.

Com a prática da leitura de muitos artigos em inglês, fui aprimorando meu vocabulário na área que eu trabalhava e percebendo como os bons artigos eram escritos. A primeira vez que escrevi um artigo todo sozinha foi no TCC e esse foi um grande desafio. Na pós-graduação, descobri 4 ferramentas que mudaram totalmente a minha forma de escrever os artigos centíficos do zero. Hoje, tenho 49 artigos publicados em revistas internacionais. Tudo fruto do uso de ferramentas como as que vou te ensinar a usar hoje e de muita observação dos trabalhos de maior impacto na área.

E você pode se perguntar, mas só pode publicar artigo em inglês? Não! Pode-se publicar em qualquer língua, mas os melhores artigos são publicados na língua “universal” da ciência, que é o inglês. Se o melhor do conhecimento está lá, somos fortemente influenciados a desejar que o trabalho que foi desenvolvido com tanto suor e sacrifício, também esteja entre os melhores e seja de acesso mundial.

Acompanhe essas dicas e descubra que é totalmente possível escrever o seu artigo em inglês do absoluto zero, mesmo se você não é fluente na língua.

Escreva o seu artigo direto em inglês

E aí você pode se perguntar: Mas como assim? Eu não sou fluente em inglês! Isso mesmo, eu também não era e aprendi dessa forma.

Escrever direto em inglês te ajuda a aprender as palavras na sua área de atuação (pelo menos) e a forma como os artigos são escritos também. Claro que não vamos escrever exatamente igual um artigo faz, porque isso configura plágio, que é crime (Confira o nosso post sobre plágio: https://www.instagram.com/p/B022EbIp3gY/?utm_source=ig_web_copy_link), mas dá para ir pegando o jeito como vários artigos fazem e anotar os conectivos ou sentenças legais que podem ser usadas em qualquer artigo seu (Veja o nosso post sobre conectivos: https://www.instagram.com/p/B0nZVKzAu7p/?utm_source=ig_web_copy_link).

Além disso, a forma de escrever artigos em inglês não segue exatamente o mesmo raciocínio de escrever em português. Para pegar essas sacadas, o caminho é ler outros artigos, de preferência, aqueles de revista de maior fator de impacto, e observar como eles escrevem, perceber o uso de frases de efeito e atentar-se para a forma como os resultados são discutidos. Seguindo os melhores exemplos, não tem erro 😉

1. Se preferir, escreva o artigo em português e depois traduza para o inglês

Mas se você prefere escrever o artigo em português para então traduzir para o inglês, essa alternativa, embora mais trabalhosa, também é possível.

Nesse caso, você pode traduzir usando o google tradutor, que é uma ferramenta que faz uso de aprendizado de máquina (machine learning), ou seja, o tradutor faz uso de redes neurais que aprendem cada vez mais a traduzir de forma correta frases complexas, por isso nos últimos anos, as traduções do google tradutor, estão muito melhores.

2. Consulte o Banco de Frases Acadêmicas

Depois que tiver o seu texto em inglês, você pode recorrer ao Banco de Frases Acadêmicas, que possui frases coringa para fazer as transições entre as sentenças do seu texto, exatamente como os artigos escritos por nativos fazem. O Banco de Frases Acadêmicas  (Academic Phrase Bankhttp://www.phrasebank.manchester.ac.uk/) foi desenvolvido pela Universidade de Manchester, que fica no Reino Unido e é uma das melhores instituições do mundo.

Esse banco de frases é maravilhoso e possui sentenças que você pode usar na íntegra ou parcialmente, a depender da necessidade do seu artigo, e o melhor, já estão em inglês. Prontas para serem encaixadas no seu artigo. Veja a tela inicial do site, abaixo:

Descubra 4 dicas infalíveis para escrever seu artigo em inglês do absoluto zero 1
O site é organizado pelas sessões que você tem interesse em incluir as frases. Por exemplo, introdução…

Além disso, ele é dividido de acordo com as sessões do artigo. Por exemplo, se na introdução você quer falar sobre a indicação terapêutica de determinado medicamento, você pode selecionar a frase em destaque abaixo:

Descubra 4 dicas infalíveis para escrever seu artigo em inglês do absoluto zero 2
Veja que ele dá várias opções de frases que podem ser utilizadas.

A grande vantagem desse banco, é que ele é muito fácil de usar, possui uma versão gratuita no site e tem também um e-book com versão mais completa disponível na Amazon que custa R$25,00. Além disso, o Academic Phrase Bank ajuda a costurar bem as frases do seu artigo. Se você tiver qualquer dificuldade em utilizá-lo, é só deixar as suas dúvidas nos comentários.

3. Faça a correção gramatical do artigo já em inglês

Uma vez que o texto está em inglês e você já usou as frases do banco que melhor se encaixaram para deixar o seu artigo mais coerente e de leitura mais fluida, é hora de verificar se ele está escrito de acordo com as normas gramaticais do inglês. E você pode fazer isso facilmente utilizando o Grammarly (https://app.grammarly.com/ddocs/567304059), que possui uma versão gratuita.

Nesse site (que também tem aplicativo), você copia e cola o seu texto e ele vai corrigir, dando sugestões da melhor forma de escrever. Como mostrado abaixo:

Descubra 4 dicas infalíveis para escrever seu artigo em inglês do absoluto zero 3
Perceba que ele sugere trocar was por were.
No caso do nome científico, onde acima ele sugere corrigir a escrita de Poit, não é necessário, pois faz parte do nome científico da planta e está escrito corretamente. Cabe uma análise crítica dessas sugestões.

4. Verifique se o artigo possui algum percentual de plágio

Cumpridas essas etapas, é só copiar o seu artigo em um site de plágio, que pode ser algum dos que sugeri no post (https://www.instagram.com/p/B022EbIp3gY/?utm_source=ig_web_copy_link) ou o próprio Grammarly, que possui uma ferramenta de verificar plágio (https://www.grammarly.com/plagiarism-checker).

Resumindo…

  • Escreva seu artigo em inglês, do zero. Caso opte por escrever em português, traduza no google tradutor;
  • Use as frases do Academic Phrase Bank para costurar melhor o texto;
  • Verifique a gramática utilizando o Grammarly;
  • Copie o texto em programas de plágio para verificar o índice de similaridade do seu artigo, com outras publicações .

Eu fiz um vídeo (https://www.youtube.com/watch?v=8c8ltRzMmgA&t=27s) explicando através de um tutorial, como usar essas ferramentas. Não deixe de conferir 😉

Ah, e eu tenho uma dica extra para você:

Ao finalizar o artigo ou após as sugestões que os revisores fizerem, mande o manuscrito para um revisor nativo fazer a correção. A nossa língua nativa não é o inglês e é normal que tenhamos dificuldades em escrever um artigo impecável do ponto de vista gramatical, embora essas ferramentas ajudem e muito nesse processo.

Vamos estender esse post?

Deixe nos comentários as suas dúvidas sobre escrever artigos em inglês. Sugiro também que você teste essas ferramentas e deixe seu comentário contando pra gente como foi a sua experiência, se deu certo, se foi útil, quais dificuldaes você encontrou. Ficaremos felizes em ajudar =D.

Para ver outras dicas importantes para os seus textos acadêmicos, continue navegando pelo blog, siga-nos nas nossas redes sociais e increva-se no nosso canal no Youtube.

COMPARTILHE